O calor forte e o sol não desanimaram os milhares de foliões que ocuparam as ruas do centro do Rio, na manhã deste sábado. Logo cedo, às 8 horas, o Cordão do Boitatá estava repleto de fantasias irreverentes e muita animação. Vestida com flores penduradas na saia, na blusa e nos cabelos, a cientista social Daniela Souza disse  que estava fantasiada de jardim de Claude Monet. O marido, João Gonçalves, usava barbas longas, chapéu de palha e sobretudo, imitando o pintor francês.

“Adoramos Monet e resolvemos tentar uma homenagem. Nos fantasiamos todos os anos e nunca perdemos o Boitatá. Já virou uma tradição, aqui revemos amigos, relembramos carnavais passados e, claro, dançamos e cantamos muito”, afirmou. O bloco Fogo e Paixão, que toca músicas consideradas bregas e melosas ao som de samba, também lotou o Largo de São Francisco com foliões. Caminhões-pipa refrescaram os foliões.

O Bloco da Preta fez homenagem aos 100 anos ao apresentador Chacrinha. Vestida de chacrete, a cantora Preta Gil arrastou centenas de milhares de pessoas pela Rua 1º de Março. Torres de observação foram montadas para a Polícia Militar acompanhar o bloco. Na zona sul, o bloco Gigantes da Lira atraiu também o público infantil, na praça General Glicério, em Laranjeiras. Cerca de 50 blocos oficiais estão previstos somente para o dia de hoje.

O bloco Timoneiros da Viola, que tem Paulinho da Viola como padrinho, volta a arrastar foliões pelas ruas de Oswaldo Cruz a partir das 13h, homenageando o compositor e instrumentista Heitor dos Prazeres (1898-1966), um dos ícones da história do samba.

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) informou que 15 reboques estarão nas áreas de blocos com maior concentração de público para evitar estacionamento irregular.

Por Flávia Villela - Rio de Janeiro