Em 2012, a revista “Playboy” publicou uma matériacom a chamada “sexo no cinema e na TV, cenas muito quentes de Nathalia Dill, Camila Pitanga, Juliana Paes e Alessandra Negrini”. É claro que os leitores se deleitaram com fotos das celebridades nuas enquanto relembravam as atuações das meninas.

Mas a Playboy terá de pagar R$ 330 mil e R$ 70 mil às atrizes Camila Pitanga e Nathalia Dill, respectivamente, por danos morais. É que elas não autorizaram o uso de suas imagens, que foram retiradas dos filmes “Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios” e “Paraísos Artificiais”.

Camila Pitanga vai receber R$ 330 mil, no mínimo.

Segundo o Ricardo Brejterman, advogado que representa a dupla, a atitude da revista é “lamentável”, uma vez que Playboy, “que vem sofrendo com a pornografia de forma gratuita na internet, tenha feito exatamente o mesmo ao pegar uma imagem sem autorização prévia ou remuneração justamente de duas atrizes que até a presente data se manifestaram que nunca irão posar em uma revista masculina”.

Brejterman afirma que pretende recorrer da decisão da Justiça para aumentar o valor da multa, “porque não é a primeira vez que a Playboy é condenada por essa atitude”. Para Alexandre Fidalgo, advogado da revista, não houve irregularidade na publicação de 2012, uma vez que o conteúdo foi de cunho jornalístico, “uma crítica a respeito do trabalho artístico das atrizes”.

Nathalia Dill atuou em "Paraísos Artificiais".

Fidalgo vai recorrer da decisão sob a bandeira da “liberdade de expressão”. Alessandra Negrini e Juliana Paes, que também tiveram suas imagens impressas na publicação, não vão entrar na Justiça.