Você já deve ter ouvido de sua mãe algo como: “não vá comer em frente à televisão na casa do vô, hein?!”. Pois puxões de orelha assim existem também em cenário internacional – e quem assume o papel da “figura materna”, nesse caso, é o próprio Estado. É fato: agora, franceses que decidirem visitar os EUA podem consultar um “manual de instruções”. É o que o governo do país europeu listou uma série de práticas que não são bem vistas sob os olhos dos norte-americanos.

Dicas de comportamento e até mesmo sobre quais piadas fazer ou não são mencionadas pelo “Guia do Governo Francês para as Cidades Americanas Top 13”. A medida tem o objetivo de garantir a segurança e evitar o protagonismo de situações embaraçosas por franceses, uma vez que “os americanos são um grupo mais conservado que pode não apreciar um senso de humor ‘latino’”.

Por exemplo: quem possui filho pequeno deve preferir usar banheiros que condizem com o gênero da criança (femininos, para mãe e filha, e masculinos, para pai e menino) e evitar eventuais acusações por crime de “embaraço sexual”. Quando conversas com pessoas do sexo oposto forem travadas, um tom “reservado” tem de ser adotado.

“Comentários, comportamento e piadas que soam inofensivas podem levar a casos de polícia nos EUA”, alerta o governo francês. Nos EUA, a Segunda Emenda garante aos estadunidenses o direito de se andar armado – outra razão para que os turistas tomem cuidado com o que sai da boca. Dirigir em velocidades reduzidas, evitar o consumo de bebida alcoólica junto de pessoas de idosas e não visitar determinadas áreas das cidades à noite são outras das recomendações feitas.

O guia completo sobre as cidades top 13 dos EUA pode ser conferido por meio desta página, em francês.