Cristiano Ronaldo não é apenas uma estrela do futebol, mas também uma galáxia. É que pesquisadores da Universidade de Lisboa, em Portugal, encontraram um conjunto de estrelas e deram a ele o nome de CR7 – sigla pela qual o jogador do Real Madrid é conhecido mundialmente.

Como explica David Sobral, astrônomo que liderou o estudo e que batizou a descoberta, a nomenclatura Cosmic Redshift 7 de fato se inspirou no atleta – o título, na realidade, se refere ao método usado para datar objetos distantes e não significa, assim, a abreviação literal de “Cristiano Ronaldo”.

A galáxia CR7 tem existe desde que o Universo tinha “somente” 800 milhões de anos. “As estrelas da galáxia CR7 fabricaram elementos pesados e alteraram a composição do Universo, e é por isso que estamos aqui”, esclarece Sobral.

Artista cria retrato da CR7 e ilustra a possível forma da galáxia descoberta.