Eles recebem 84 milhões de visitantes ao ano, mas ainda assim são considerados os anfitriões mais rudes de todos os destinos turísticos do mundo. Agora, a França se prepara para mudar esta má reputação, lançando um plano de investimento que pretende aumentar o número de turistas para 100 milhões ao ano até 2020 e preparar melhor sua população para receber os convidados.

Segundo o ministro do exterior Laurent Fabius, o fundo para impulsionar o turismo deve começar no próximo outono. Para ele, o turismo é um tesouro nacional e precisa ser desenvolvido e protegido, já que é responsável pelo emprego de 2 milhões de pessoas e 7% da riqueza do país. Uma das medidas  de mudança incluiria, por exemplo, sinalização em inglês nos aeroportos e estações de trem, com mensagens de boas-vindas e de adeus.

A ideia de transformar a França em um país mais acolhedor surgiu depois de um relatório que mostra que apesar de ser o destino mais procurado do mundo o país é, ao mesmo tempo, considerado o mais mal-educado. Os níveis de satisfação dos turistas são cerca de 30% abaixo da média para o resto da Europa.

Em uma votação do site Trip Advisor, estrangeiros votaram em Paris como a cidade mais rude da Europa, com o local com atendimento menos amigável, taxistas mais desagradáveis e garçons mais agressivos.